Saltar al contenido

Ao povo de Deus e a todas as pessoas de Boa Vontade”.

Com essas palavras o Papa Francisco inicia a Exortação Apostólica Querida Amazônia”, fruto do Sínodo dos Bispos para a Região Pan-Amazônica. Desde o anúncio e preparação do Sínodo, passando pela presença do Presidente da Comissão Nacional dos Diáconos como Delegado Sinodal e, consequentemente, participando ativamente dos debates que originaram o Documento Final, este Organismo Diaconal sempre se colocou favorável e estendeu seu apoio.

Temos certeza de que todas as pessoas de Boa Vontade terão grande interesse em estudar, partilhar e fazer acontecer as propostas nela contidas. É de suma importância a preocupação pastoral, ecológica e social com relação à Amazônia. A preocupação dos padres sinodais e delegados, é a preocupação de todo o povo, não somente da Região Amazônica, mas do Brasil e dos países amazônicos, pelo que representa para nosso país e ao mundo.

O crescimento do Diaconado Permanente nos Estados da região Norte do País, mostra, como já exortou Dom Eduardo Castriani, Arcebispo Emérito de Manaus, a necessária presença ministerial dos Diáconos, esposas e famílias na Evangelização, no acolhimento aos pobres, na defesa do Meio Ambiente e da Ecologia, na defesa e assistência pastoral dos povos ribeirinhos, indígenas e quilombolas. No nº 92 da Exortação, o Papa Francisco escreve: “São necessários sacerdotes, mas isto não exclui que ordinariamente os diáconos permanentes – deveriam ser muito mais na Amazônia -, assumam responsabilidades importantes em ordem ao crescimento das comunidades e maturem no exercício de tais funções, graças a um adequado acompanhamento”.

Rogamos a Deus que a Exortação Apostólica Querida Amazônia venha cumprir seu papel, não apenas pelo desejo do Papa Francisco e dos Bispos da Região, mas pelo empenho dos cristãos e não-cristãos em defesa de tão importante bioma. Pedimos a pronta intercessão de Nossa Senhora da Amazônia.

Manaus, 13 de fevereiro de 2020

Diácono Francisco Salvador Pontes Filho, Presidente da CND.

Fonte: cnd.org.br

Por J-12-M

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *